BEM-VINDO!

Espero compartilhar idéias e projetos...

Arquivo do blog

sábado, 19 de dezembro de 2009

Imagine

Para compartilhar...
Lindo!!!

sábado, 12 de dezembro de 2009

Aprovadas emendas sobre ensino de Libras

COMISSÕES / Educação


08/12/2009 - 15h23


Aprovadas emendas sobre ensino de Libras


A Língua Brasileira de Sinais (Libras) deverá ser obrigatória para todos os estudantes surdos como língua de comunicação, em todos os níveis e modalidades da educação básica, nas instituições públicas e privadas de ensino. É o que determina emenda de Plenário ao Projeto de Lei do Senado (PLS) 14/07, do senador Cristovam Buarque (PDT-DF), aprovada nesta terça-feira (8) pela Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE).

Ainda segundo a emenda, apresentada pela relatora do projeto, senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), as condições de oferta do ensino da Libras serão definidas em regulamento dos sistemas de ensino. O regulamento tratará da necessidade de contratação de professores bilíngues, de tradutores e intérpretes; e do acesso da comunidade estudantil ouvinte e dos pais de alunos com deficiência auditiva ao aprendizado da Libras.

O texto contou com apoio do senador Flávio Arns (PSDB-PR), que considerou o projeto um "avanço importante" para a comunidade surda". A emenda será mais uma vez analisada pelo Plenário.

A comissão aprovou também parecer favorável ao Projeto de Lei da Câmara 48/06, cuja relatora foi igualmente Marisa Serrano, que torna obrigatória a exposição de obras de arte de autoria de artistas brasileiros, natos ou naturalizados, nos imóveis em que funcionam órgãos federais.

Foram concedidas vistas coletivas do Projeto de Lei da Câmara 160/09, que regulamenta o exercício de cultos religiosos, e do PLS 186/06, que modifica as regras de realização do Exame de Ordem promovido pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).


Marcos Magalhães / Agência Senado

Textos: Relatório

08/12/2009

CE - Comissão de Educação

Situação:

APROVADO PARECER NA COMISSÃO

Ação:

A Comissão, reunida no dia de hoje, aprova o parecer, de autoria da Senadora Marisa Serrano, favorável à emenda nº 02- PLEN, acolhida integralmente, e à emenda nº 03-PLEN, na forma da subemenda oferecida.

************* Retificado em 08/12/2009*************

A Comissão, reunida no dia de hoje, aprova o parecer, de autoria da Senadora Marisa Serrano, favorável à emenda nº 02- PLEN, acolhida integralmente, e à emenda nº 03-PLEN, na forma da subemenda oferecida.

Anexado à fl. 41, Requerimento de Urgência, de autoria do Senador Flávio Arns, aprovado no dia de hoje.

************* Retificado em 08/12/2009*************

A Comissão, reunida no dia de hoje, aprova o parecer, de autoria da Senadora Marisa Serrano, favorável à emenda nº 02- PLEN, acolhida integralmente, e à emenda nº 03-PLEN, na forma da subemenda nº 01-CE oferecida.

Anexado às fls. 41 a 42, Requerimento de Urgência, de autoria do Senador Flávio Arns, aprovado no dia de hoje.


08/12/2009

CE - Comissão de Educação

Ação: Recebido neste Órgão, nesta data.

09/12/2009

SSCLSF - SUBSEC. COORDENAÇÃO LEGISLATIVA DO SENADO


Situação: AGUARDANDO LEITURA PARECER (ES)

sexta-feira, 11 de dezembro de 2009

Aluna de ensino a distância terá intérprete de Libras

A medida é resultado de termo de ajustamento de conduta com o Ministério Público Federal e Uninter
Estadão.edu
Quinta-feira, 10 de dezembro de 2009



SÃO PAULO - 
O Uninter, instituição especializada em ensino a distância, vai dispor, a partir de fevereiro do ano que vem, de intérpretes de Libras (Língua Brasileira de Sinais) em televisão, ou telão proporcional ao tamanho das salas de aula de seu polo presencial de ensino na cidade de Osasco. A medida é resultado de termo de ajustamento de conduta com o Ministério Público Federal e tem como objetivo reparar a falta de intérprete de Libras para a aluna Carla Sant´ana Souza Nogueira, estudante de Pedagogia da entidade.

Desde o início do ano, Carla não teve intérprete. A faculdade se comprometeu com o MPF a ter um intérprete de Libras para acompanhar o tutor (professor) na tele-sala de pedagogia e nas atividades extra-classe.

A faculdade se comprometeu a fornecer, nos próximos semestres, sem ônus para a estudante, aulas de reforço e provas de recuperação, sempre com a presença de intérprete. Em caso de descumprimento das obrigações, a faculdade está sujeita ao pagamento de multa diária de R$ 2 mil.

III Jornada de Educação para Surdos e a importância da capacitação profissional

Local: Câmara Municipal de Atibaia
Dia: 15/12/09
Hora: 19h00

domingo, 29 de novembro de 2009

Bilinguísmo para Surdos – uma proposta vinda da Austrália

Bilinguísmo para Surdos – uma proposta vinda da Austrália.
 
Palestra da professora Dra. Maria Cecília Moura do curso de Fonoaudiologia da PUC/SP.

O evento será na segunda-feira, 30/11/2009, às 10:30 na sala 10CA 
no LAEL  -PUC-SP. Entrada pela Rua Monte Alegre.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Câmara reconhece profissão de TRADUTOR E INTÉRPRETE DE LÍNGUA DE SINAIS

PROJETO DE LEI Nº /2004
(Da Sra. MARIA DO ROSÁRIO)

Reconhece a profissão de Intérprete da Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências.

Art. 1.º. Fica reconhecido o exercício da profissão de Intérprete da Língua Brasileira de Sinais – Libras, com competência para realizar a interpretação das duas línguas de maneira simultânea ou consecutiva e proficiência em tradução e interpretação de LIBRAS e Língua Portuguesa, com as seguintes atribuições:
I – efetuar comunicação entre surdos e ouvintes; surdos e surdos; surdos e surdos-cegos; surdos-cegos e ouvintes, através da Língua Brasileira de Sinais para a Língua Oral e vice-versa;
II – interpretar, em Língua Brasileira de Sinais/ Língua Portuguesa, as atividades didático-pedagógicas e culturais, viabilizando o acesso aos conteúdos curriculares, desenvolvidas nas instituições de ensino que ofertam educação
fundamental, de ensino médio e ensino superior;

Art. 2.º Os Intérpretes de Libras para o exercício de sua profissão deverão
estar devidamente habilitados em curso superior ou de pós-graduação, em instituição
regularmente reconhecida pelo MEC. 
Parágrafo único. Os Intérpretes de Libras que exercem a função sem a formação que determina o ‘caput’, terão o prazo de 10 anos para a sua adequação, podendo atuar neste período através de exame de proficiência em Tradução e Interpretação de Libras e Língua Portuguesa do MEC.

Art. 3.º. Além da habilitação definida, o exercício da profissão de intérprete de sinais deverá atender os seguintes requisitos:
I - domínio da língua de sinais;
II - conhecimento das implicações da surdez no desenvolvimento do
indivíduo surdo;
III - conhecimento da comunidade surda e convivência com ela;
IV - filiação a órgão de fiscalização do exercício desta profissão;
V - noções de lingüistica, de técnica de interpretação e bom nível de
cultura;
VI - habilitado na interpretação da língua oral, da língua de sinais, da língua
escrita para a língua de sinais e da língua de sinais para a língua oral.
Art. 3.º. Esta lei entra em vigor 120 dias após sua publicação.

JUSTIFICAÇÃO

FRASE

"É impossível para aqueles que não conhecem a língua de sinais perceberem sua importância para os surdos, sua enorme influência sobre a felicidade moral e social dos que são privados da audição e sua maravilhosa capacidade de levar o pensamento a intelectos que de outra forma ficariam em perpétua escuridão. Enquanto
houver dois surdos no mundo e eles se encontrarem, haverá o uso de sinais."
(J.Schuylerhong)

Segundo dados do IBGE, existiam no Brasil 5.750.809 pessoas com problemas relacionados à surdez - 519.560 com idade até 17 anos e 276.884 entre 18 e 24 anos. Dados do MEC mostram que, em 2003, 56.024 aluno surdos freqüentavam o ensino fundamental; 2.041, o médio. Somente 3,6% do total de surdos matriculados
conseguiu concluir a educação básica, o que comprova a exclusão escolar provocada pelas barreiras na comunicação entre alunos surdos e professores. 
Além da exclusão escolar, o desconhecimento da língua brasileira de sinais - LIBRAS por parte da comunidade ouvinte, tanto da linguagem oral como escrita, bem como da falta de profissionais de intérpretes para suprir estas dificuldades acabam por acentuar a exclusão social dos surdos.  
O direito à comunicação é um direito essencial do ser humano, mas foram anos de luta para que os surdos tivessem seu direito reconhecido, lhes sendo garantido o direito à acessibilidade às informações, cuja língua deve ser ensinada e utilizada em todos os meios de comunicação.  
A língua brasileira de sinais - LIBRAS permite ao surdo sua integração social e participar como cidadão. É preciso mais que ter uma língua, ter um país que a reconhece como direito essencial.
Para a inclusão dos surdos e a efetivação do direito à informação é imprescindível o reconhecimento do profissional de intérprete de libras, que é quem efetua a comunicação entre surdo e ouvinte; surdo e surdo; surdo-cego e surdo; ouvinte e surdo-cego, devendo o mesmo ter domínio da língua de sinais; conhecimento das implicações da surdez no desenvolvimento do indivíduo surdo; conhecimento da comunidade surda e convivência com ela.
O intérprete é um profissional bilingüe, habilitado na interpretação da língua oral, da língua de sinais, da língua escrita para a língua de sinais e da língua de sinais para a língua oral. 

Sala das Sessões, em de dezembro de 2004.
MARIA DO ROSÁRIO NUNES
Deputada Federal PT/RS

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

LANÇAMENTO do LIVRO ECOPIRATAS: Uma aventura ecológica em Fernando de Noronha - C/ INTÉRPRETE LIBRAS

Para o público em geral, mas em especial para os surdos, familiares de surdos e educadores será um encontro maravilhoso, oportunidade única de encontro com o autor Beto Junqueyra e o ilustrador Eric Gerhard estarão por lá com interpretação em Libras. 
SERÁ UM ENCONTRO SURPREENDENTE!!! 





sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Avaliação escolar e políticas públicas de Educação para os alunos não ouvintes

Avaliação escolar e políticas públicas de Educação para os alunos não ouvintes
Fernando C. Capovilla
Instituto de Psicologia, USP, Coordenador Pandesb filiado ao Observatório da Educação Inep-Capes
O aperfeiçoamento de políticas públicas em Educação depende da avaliação de seus efeitos sobre o desenvolvimento acadêmico e o rendimento escolar. Apesar de vir publicando relatórios bienais sobre o rendimento do alunado brasileiro desde 1995 no Saeb e, depois, na Prova Brasil, o Inep tem excluído a avaliação sistemática da Educação Especial, deixando a criança com deficiência à margem do processo e de seus benefícios. A Educação de Surdos não foge à regra: nunca foi avaliada qualquer escola para surdos, nem avaliado qualquer aluno surdo assim identificado em regime de inclusão.
A ausência de caselas identificadoras de presença de deficiência e de seu tipo no Saeb e na Prova Brasil impede a constituição de base de dados sobre rendimento, inviabilizando a avaliação sistemática dos resultados de políticas que têm tido forte impacto sobre as vidas das crianças, como a de desativação de escolas específicas para surdos e a dispersão desses alunos em escolas comuns, quase nunca preparadas para inclusão ou mainstreaming eficaz.
Para ajuizar o efeito dessas políticas, o Programa de Avaliação Nacional do Desenvolvimento Escolar do Surdo Brasileiro (Pandesb) foi inaugurado na USP em 1999 com apoio de CNPq, Capes e Seesp, e encampado pelo Inep via Observatório da Educação em 2006. Na década 1999-2009, o Pandesb gerou bateria de 15 testes para mapear desenvolvimento de competências cognitivas e linguísticas cruciais ao rendimento escolar do surdo, e avaliou sistematicamente, durante 18 horas por aluno, mais de 8.000 surdos de 15 estados, de 1a. série do Ensino Fundamental até o Ensino Superior. O Pandesb produziu os parâmetros basais de desenvolvimento normal para cada série escolar numa série de competências como leitura alfabética (Capovilla & Capovilla, 2006; Capovilla, Capovilla, Mazza, Ameni, & Neves, 2006; Capovilla, Capovilla, Viggiano, Mauricio, Bidá, 2005; Capovilla & Mazza, 2008; Capovilla, Mazza, Ameni, Neves, & Capovilla, 2006; Capovilla & Raphael, 2004a, 2005b), leitura de textos (Capovilla & Raphael, 2005a), escrita alfabética (Capovilla & Ameni, 2008), leitura orofacial (Capovilla, Sousa-Sousa, Ameni, & Neves, 2008), e compreensão de sinais de Libras (Capovilla, Capovilla, Viggiano, & Bidá, 2004; Capovilla & Raphael, 2004b), e analisou sistematicamente a variação desses parâmetros como função das políticas.
Analisando os parâmetros como função da interação entre variáveis do educando, como grau (profunda, severa, moderada, leve) e idade de perda auditiva (pré-lingual, perilingual, pós-lingual) e variáveis do sistema de ensino, como tipo de escola (específica para surdos versus comum) e língua-veículo de ensino-aprendizagem (Libras e Português versus Português apenas), o
Panbesb descobriu que a política de inclusão, embora benéfica ao deficiente auditivo, é nociva ao surdo, e que este se desenvolve mais e melhor em escolas específicas para surdos no caldo de cultura de Libras, e sob ensino e acompanhamento de professores proficientes em Libras, como veículo principal de ensino-aprendizagem do Português e de outras disciplinas.
Tal achado decorre da diferença crucial entre alunos surdos (cuja língua materna é Libras) e com eficiência auditiva (cuja língua materna é Português), e é ainda mais relevante quando se sabe que a quase totalidade dos alunos das escolas que vêm sendo desativadas é de alunos surdos, e não deficientes auditivos, pois que estes já vinham sendo incluídos normalmente, dada sua maior facilidade de alfabetizar-se e incluir-se por leitura orofacial e leitura-escrita alfabéticas. A desativação das escolas para surdos é desserviço, já que a criança surda aprende mais e melhor nelas.
Uma década de Pandesb revelou que o melhor modelo de Educação de Surdos consiste na articulação, em contra-turno, entre educação principal ministrada em Libras e Português escrito na escola específica para surdos (em presença de colegas surdos e sob professor fluente em Libras) e educação complementar sob inclusão na escola comum. Mais detalhes em Capovilla (2008).
Referências
Capovilla, F. C. (2008). Principais achados e implicações do maior programa do mundo em avaliação do desenvolvimento de competências linguísticas de surdos. Em: A. L. Sennyey, F. Capovilla, & J. Montiel (Orgs.), Transtornos de aprendizagem. São Paulo, SP: Artes Médicas, pp. 151-164.
Capovilla, F., & Ameni, R. (2008). Compreendendo fenômenos de pensamento, leitura e escrita à mão livre no surdo. Em: A. Sennyey, F. Capovilla, & J. Montiel (Orgs.), Transtornos de aprendizagem. São Paulo, SP: Artes Médicas, pp. 195-206.
Capovilla, F., & Capovilla, A. (2006). Leitura de estudantes surdos: desenvolvimento e peculiaridades em relação à de ouvintes. Educação Temática Digital, 7(2), 217-227.
Capovilla, F., Capovilla, A., Mazza, C., Ameni, R., & Neves, M. (2006). Quando alunos surdos escolhem palavras escritas para nomear figuras: Paralexias ortográficas, semânticas e quirêmicas. Revista Brasileira de Educação Especial, 12, 203-220.
Capovilla, F., Capovilla, A., Viggiano, K., & Bidá, M. (2004). Avaliando compreensão de sinais da Libras em escolares surdos do ensino fundamental. Interação, 8(2), 159-169.
Capovilla, F., Capovilla, A., Viggiano, K., Mauricio, A. C., & Bidá, M. (2005). Processos logográficos, alfabéticos e lexicais na leitura silenciosa por surdos e ouvintes. Estudos de Psicologia, 10(1),15-23.
Capovilla, F., & Mazza, C. (2008). Nomeação de sinais da Libras por escolha de palavras: paragrafias quirêmicas, semânticas e ortográficas por surdos do Ensino Fundamental ao Ensino Superior. Em: A. Sennyey, F. Capovilla, & J. Montiel (Orgs.), Transtornos de aprendizagem. São Paulo, SP: Artes Médicas, pp. 179-194.
Capovilla, F., Mazza, C. Z., Ameni, R., Neves, M., & Capovilla, A. (2006). Quando surdos nomeiam figuras: Processos quirêmicos, semânticos e ortográficos. Perspectiva, 24, 153-175.
Capovilla, F., & Raphael, W. (2004a). Enciclopédia da Libras, Vol. 1: Sinais de Educação; e como avaliar competência de leitura. São Paulo, SP: Edusp.
Capovilla, F., & Raphael, W. (2004b). Enciclopédia da Libras, Vol. 2: Sinais de Artes e cultura, esportes e lazer; e como avaliar compreensão de sinais. São Paulo, SP: Edusp.
Capovilla, F., & Raphael, W. (2005a). Enciclopédia da Libras, Vol. 3: Sinais de Vida em família, relações familiares e casa; e como avaliar compreensão de leitura de sentenças. São Paulo, SP: Edusp.
Capovilla, F., & Raphael, W. (2005b). Enciclopédia da Libras, Vol. 4: Comunicação, eventos e religião; e como avaliar nomeação de figuras. São Paulo, SP: Edusp.
Capovilla, F., Sousa-Sousa, C., Ameni, R., & Neves, M. (2008). Avaliando a habilidade de leitura orofacial em surdos do ensino fundamental. Em: A. Sennyey, F. Capovilla, & J. Montiel (Orgs.), Transtornos de aprendizagem. São Paulo, SP: Artes Médicas, pp. 207-220.
Apoio: Inep, Capes, CNPq.

SEMINÁRIO: A sociedade civil e a construção do Plano de Educação da Cidade

*Debates Desafios da Conjuntura*

*A Ação Educativa e o Movimento Nossa São Paulo convidam para o seminário*

*A sociedade civil e a construção do Plano de Educação da cidade*
*O que São Paulo ganha com isso?*

Em agosto, foi lançado o processo de construção coletiva do Plano de
Educação da cidade de São Paulo. Em seu documento-base, estão previstas
várias etapas de mobilização para a discussão de diretrizes de médio e longo
prazo para a educação da cidade. O Plano estabelece qual educação queremos
ter a daqui dez anos e como poderemos alcançá-la. Para debater esse
processo, a Ação Educativa e o Movimento Nossa São Paulo, realizam um
encontro no dia 17 de outubro, sábado, das 9h às 12h30.

*Vamos reinventar a educação da nossa cidade! **Quanto mais gente
participar, mais rico, forte e de qualidade será o processo de construção do
Plano. *

*Convidados:*
*Ana Claudia* *Chaves Teixeira - *Instituto Pólis* *e* **Fórum Nacional de
Participação Popular*

*Anna Penido Monteiro* - Coordenadora Regional do Fundo das Nações Unidas
para a Infância (UNICEF) / Plataforma dos Centros Urbanos

*Denise Carreira - *Ação Educativa e representante do Movimento *Nossa São
Paulo** *

*Maria Cláudia Vieira Fernandes - *Diretora da EMEF Armando Cridey Righetti

*Odilon Guedes* - Movimento Nossa São Paulo

*Valter de Almeida Costa* - Diretor do Fórum para o Desenvolvimento da Zona
Leste

Se você possui algum tipo de deficiência, por favor, entre em contato para
que possamos garantir sua acessibilidade. Haverá interpretação em LIBRAS.

Transmissão ao vivo pela internet, com interpretação em LIBRAS. Acesse:
http://www.observatoriodaeducacao.org.br/

O evento é gratuito.

*Data: **17 de outubro de 2009 *
*Horário: **9h às 9h30 - credenciamento e café da manhã; 9h30 às 12h30 -
seminário*
*Local: **Auditório da Ação Educativa*
*Rua General Jardim, 660 - Vila Buarque - São Paulo - SP*
*(próximo à estação do Metrô Santa Cecília)*
*Inscrições: **geusilene.costa@acaoeducativa.org
**ou (11) 3151-2333 ramal 103 ou 152, das 11h às 18h.*

*Realização:*
Ação Educativa/Observatório da Educação/Movimento Nossa São Paulo
*Apoio Institucional:*
EED
*Apoio:*
Avina
Fundação Ford
Save the Children UK

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Curso Auxiliar Administrativo pra Surdos - GRATUITO Manhã e Tarde 19 e 20/10

ADAVIDA® - Associação ADAVIDA


Rua Maldonado, 158 – Vila Guarani – Santo André – São Paulo – Cep: 09110-690
E-mail: associacaoadavida@yahoo.com.br
Fone/Fax: (11) 4509-4117 / Fone: (11) 3439-0549 / TS: (11) 4474-7577

Curso de Auxiliar Administrativo


Data: 19 e 20 de outubro de 2009
Horário: 8h00min até 12h00min
13h30min até 17h30min
Idade: A partir de 14 anos
Vaga: 20 pessoas por período.
Valor: Gratuito
Local: Associação ADAVIDA
Endereço: Rua Maldonado, 158, Vila Guarani.
Obs.: Ônibus: I02 ou T27 (descer segundo ponto da Rua Valentim Magalhães, entrar ao lado da padaria Rua Eudízia, primeira esquerda Rua Maldonado).

Associação ADAVIDA
Tel: (11)3439-0549
Fax:(11)4509-4117
TS.: (11)4474-7577

CURSO DE LIBRAS - SECRETARIA DE ESTADO DOS DIREITOS DA PESSOA COM DEFICIÊNCIA

Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência oferece curso de Libras

Curso básico tem como objetivo facilitar a comunicação entre surdos e ouvintes, principalmente, no ambiente escolar

Estão abertas até o dia 30 de outubro, as inscrições para o Curso Intensivo de Libras (Língua Brasileira de Sinais) - Módulo I. O curso é oferecido pela Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência e tem como objetivo facilitar a comunicação e transpor barreiras entre surdos e ouvintes.

Ministradas por profissional surdo da FENEIS (Federação Nacional de Educação e Integração dos Surdos), as aulas são voltadas a profissionais interessados em aprender Libras para efetuar comunicação com surdos, principalmente na área de educação, particular ou pública. Há 60 vagas em duas turmas às terças e quintas-feiras, nos horários das 9h às 12h15 ou das 14h às 17h15.

A ficha de inscrição para o curso deve ser baixada no site: http://www.pessoacomdeficiencia.sp.gov.br/usr/share/documents/ficha_inscrição_curso_libras.doc e enviada por e-mail para eventos@pessoacomdeficiencia.sp.gov.br, até o dia 30 de outubro.

SERVIÇO:

Curso Intensivo de Libras - Módulo I

Inscrições: Até o dia 30 de outubro

Aulas: De 03 de novembro a 15 de dezembro

Horário: Das 9h às 12h15 ou das 14h às 17h15

Local: Sala VIP - Foyer da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência

Endereço: Av. Auro Soares de Moura Andrade, 564, portão 10 - Barra Funda - São Paulo - SP - ao lado da estação do metrô e terminal rodoviário

Mais informações: (11) 5212.3700 ou eventos@pessoacomdeficiencia.sp.gov.br

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Pais de alunos produzem vídeo em Libras

Pais de alunos interpretam “A Galinha Ruiva”

Um grupo de pais de alunos da Escola para Crianças Surdas Rio Branco produziu um vídeo para contar a divertida história Infantil “A Galinha Ruiva”. O trabalho é resultado do “Encontro Semanal com os Pais na Biblioteca”, um projeto que visa a desenvolver a Língua Brasileira de Sinais – Libras e a contação de histórias de pais para filhos, possibilitando mais integração entre as famílias.

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Assim Vivemos 2009 - 4º Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência

DIVULGANDO...

O Assim Vivemos 2009 - 4º Festival Internacional de Filmes sobre Deficiência será realizado de 04 a 16 de agosto no Rio de Janeiro, de 25 de agosto a 06 de setembro em Brasília e de 07 a 18 de outubro em São Paulo, no Centro Cultural Banco do Brasil.

O Festival Assim Vivemos é bienal e teve sua primeira edição realizada em 2003, no Rio de Janeiro e em Brasília. Desde então, o festival proporciona todas as acessibilidades nas sessões dos filmes: audiodescrição (descrição de tudo o que aparece na imagem dos filmes e que não pode ser entendido apenas pelo áudio), legendas com Closed Caption (inclusive nos filmes brasileiros) e interpretação em LIBRAS dos debates.

Em duas semanas, exibiremos 24 filmes de 13 países, em diversos horários. Também serão realizados quatro debates sobre temas específicos, congregando pessoas com deficiência, profissionais especializados, professores universitários, diretores de cinema, entre outros.

Alguns destaques dessa edição: Eu era surdo e não sabia, da França, e Vozes de El Sayed, de Israel, sobre questões relativas à surdez. Somos todos Daniel, do Canadá, filme que nos apresenta uma turma de adolescentes autistas que cantam, dançam e interpretam. As políticas públicas de inclusão e acessibilidade aquecem o debate em filmes como Ofensas verbais, dos Estados Unidos, Omar, você aceita minha deficiência?, da França e As autoridades estão sempre certas, do Reino Unido. O humor se faz presente em Blues da Moça Cega, dos Estados Unidos e em Os Marginais, do Reino Unido. E muito mais. Filmes da Coréia do Sul, Armênia, Noruega, Rússia, França, Argentina, numa programação que compõe um impressionante painel multicultural.

Pedimos ainda especial atenção para os quatro excelentes filmes brasileiros selecionados: Sentidos à Flor da Pele, de Evaldo Mocarzel, Pindorama, de Roberto Berliner, Lula Queiroga e Leo Crivellare, Dreznica, de Anna Azevedo e O Vôo da Cegonha, de Laly Cataguases.

Todas as sessões terão ENTRADA FRANCA.

PATROCÍNIO: Banco do Brasil

PRODUÇÃO: Lavoro Produções

DIREÇÃO: Lara Pozzobon

sábado, 25 de julho de 2009

Thousand-Hand Guan Yin

Belíssimo trabalho realizado com dançarinos surdos.
A arte e expressão das mãos para os olhos.

terça-feira, 21 de julho de 2009

Vote novo símbolo da língua de sinais

Visite http://www.feneismg.blogspot.com/
e vote novo símbolo da língua de sinais.

segunda-feira, 20 de julho de 2009

INAUGURAÇÃO EDUCALIBRAS

EDUCALIBRAS

Empresa voltada à preparação da comunidade surda para o mercado de trabalho.
Rua Cássio de Almeida, 701 - Vila Guilherme - SP
Metrô Belém - ônibus 172 N - Center Norte/Metrô Belém (Av. Guapira, em frente ao Asilo do Jaçanã - Guarulhos)

Metrô Santana - ônibus 271M - Pq. Novo Mundo / Metrô Santana
Metrô Liberdade - ônibus 2127 - Jd. Brasil / Metrô Liberdade
Metrô Liberdade - ônibus 2123 - Vila Medeiros / Metrô Liberdade

MATÉRIA PUBLICADA- SENTIDOS (17/7/2009/)
ACESSE - http://sentidos.uol.com.br/canais/materia.asp?codpag=13282&canal=educacao

Dar ao aprendizado da Língua de Sinais (LIBRAS) a importância e a estrutura que ela realmente merece - este é o principal objetivo da Pró-Surdo & Educalibras, que abrirá suas portas no dia 26 deste mês, em São Paulo. De acordo com o Decreto nº 5.626, promulgado em dezembro de 2005, a Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) deve ser inserida como disciplina curricular obrigatória para os cursos de formação de professores para o exercício do magistério, em nível médio e superior e fonoaudiólogos. É nesse contexto que a nova instituição, Pró-Surdo & Educalibras pretende atender educadores dos ensinos fundamental e médio da rede pública e particular, profissionais da área da saúde, recursos humanos, amigos e familiares de surdos, estudantes e todas as demais pessoas interessadas em aprender esta forma de comunicação com surdos e/ou pessoas com deficiência auditiva.

A Pró-Surdo & Educalibras está localizada, na Zona Norte de São Paulo, próxima à Uniban Maria Cândida, e conta com profissionais como intérpretes, pedagogos, professores e fonoaudiólogos, todos experientes, capacitados e envolvidos na comunidade surda há anos. De um lado, a Pró-Surdo, uma instituição que desde 1999 presta serviços nas áreas de Educação, Trabalho e Direitos, desenvolvendo diversas atividades junto a escolas, empresas, prefeituras etc, no atendimento ao público infantil e adulto surdos e de seus familiares.

De outro, a Educalibras, outra instituição dedicada ao gerenciamento, treinamento, tradução e interpretação em locais que objetivam a inclusão de pessoas surdas e com deficiência auditiva, visando a difusão da LIBRAS para melhor integração de surdos na sociedade e já é referência no ensino e difusão da Língua de Sinais. Juntas, estas duas instituições deram origem à Pro-Surdo & Educalibras, somando as experiências de seus idealizadores para colocar em prática sua meta de proporcionar treinamento e capacitação para profissionais que trabalham com crianças e adultos com necessidades educacionais especiais.

Com uma moderna infra-estrutura, a escola está instalada em um prédio amplo, condição essencial para o aprendizado da Língua de Sinais. A disposição das salas é feita em "U", para que todos os alunos tenham perfeita visão uns dos outros e do que é exposto, além disso, há um vasto material didático que conta com apostilas, dicionários, livros, informativos e cadernos de exercícios (inclusive lúdicos), para facilitar a memorização dos sinais. O material, em grande parte é produzido pela própria escola e por seus professores surdos, a partir de uma vasta referencia bibliográfica de escritores já renomados.

Curso de Libras:
Próximas turmas para inicio na primeira semana de agosto! (sábado, 01 de agosto);
Os cursos têm duração de 120 horas, com 4 horas semanais. Está incluso a certificação de 2 módulos - Iniciante e Intermediário. (60horas cada módulo);

Todas as aulas são ministradas por instrutor surdo habilitado pelo MEC e formado ou cursando pedagogia;
Algumas aulas há a participação do intérprete para realização de atividades especificas de interpretação junto com musicas e vídeos.

Horários:
Segunda a Sexta
Manhã - 8h00-10h00; 10h00-12h00;
Tarde - 13h00-15h00; 15h00-17h00
Noite- 19h30-21h30.

Sábado
Manhã - 8h00-12h00
Tarde - 14h00-18h00
Plantão de Duvidas - De segunda a sexta das 17h00-18h30

Material para os 2 módulos:
2 Dicionários Capovilla - Educação e Esporte;
1 Livro apostila de libras;
2 DVDs de libras;
2 CD-ROOMs;
2 CDs Musica;
1 Bolsa com estampa no alfabeto em libras;
1 Camiseta de libras - alfabeto nas costas

Investimento:
Matricula - R$ 15,00 (estudantes são isentos desta taxa);
Material - R$ 200,00 (4x de R$ 50,00)
Mensalidades:
Segunda a sexta - período da manhã - R$ 960,00 (12xR$ 80,00);
Segunda a sexta - período da tarde - R$ 840,00 (12xR$ 70,00);
Segunda a sexta - período da noite - R$ 1080,00 (12xR$ 90,00);
Sábado - período manhã e tarde - R$ 1080,00 (12xR$ 90,00).

Sistema de bolsa de estudo
A Escola oferece bolsa integral nas mensalidades para parentes diretos de surdos: filhos, pais e irmãos.
E bolsa de 50% nas mensalidades para parentes indiretos de surdos: sobrinhos, tios, primos, netos e avós.

Localização
Rua Cássio de Almeida, 701, Vila Guilherme
Tel. (11) 2631-4473

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Ensino da Língua Portuguesa para Surdos - UNISINOS



O curso se propõe a apresentar noções a respeito da disciplina Língua Portuguesa para Surdos e suas especificidades, possibilitando que o aluno tenha contato com pesquisas e produção científica recentes na área, além de ter informações a respeito da legislação e abordagens educativas que a contemplam. O curso será realizado na modalidade a distância através de interação na plataforma Moodle
Objetivos:
- Apresentar o cenário educacional brasileiro do ensino de Língua Portuguesa para Surdos e Educação de Surdos.
- Refletir sobre as abordagens educativas existentes.
- Discutir sobre a temática, pensando novas propostas.
Público-alvo:
Professores de Língua Portuguesa e de Educação Infantil; acadêmicos e graduados dos cursos de Letras, Pedagogia, Fonoaudiologia e licenciaturas, bem como acadêmicos de cursos Normal e Magistério.
Pré-requisitos:
Conhecimento básico de informática, e-mail próprio, acesso à internet e disponibilidade de 4 horas semanais, sendo 3 horas de atividades assíncronas e 1 hora para atividades síncronas, via chat, nos horários e dias pré-determinados
Modalidade: A distância
Local: Plataforma Moddle
Realização: de 3/9/2009 a 8/10/2009
Horário: Chats: 20h às 21h
Carga Horária: 24 horas


Certificado:
Os certificados serão fornecidos para aqueles que obtiverem 75% de presença nos encontros on-line, e realização de 100% das tarefas.
Promoção:
Universidade do Vale do Rio dos Sinos – Unisinos
Unidade Acadêmica Educação Continuada
Gerência de Cursos de Extensão
Coordenação:
Dra. Ana Maria de Mattos Guimarães

DIVULGANDO CURSO DE LIBRAS - 180 hs

DIVULGANDO...

Curso de Libras
região de Itapecerica, Taboão, Embu, Osasco

Inicio: Agosto/2009
2 encontros semanais
Carga Horaria: 180 horas

Instrutor certificado pelo MEC - Prolibras

Informações/ Inscrições: 11-46677068 / 72533355

segunda-feira, 13 de julho de 2009



Divulgação de peça teatral "TANTO" com intérprete de libras

DIVULGANDO...

Sábado 21h00
Ingressos R$25,00
Rua: Augusta 943 CEP 01305-100
Cerqueira César São Paulo-SP
TANTO
Texto e Direção: João Fábio Cabral

sábado, 11 de julho de 2009

BilingLatAm

video video

III BilingLatAm - 2009

A EDUCAÇÃO BILÍNGUE PARA SURDOS
E A TECNOLOGIA DA IMAGEM
O uso do termo "tecnologia nos leva muitas vezes a pensar em computadores e equipamentos altamente sofisticados e inovadores. No entanto, a discussão que propomos envolve a aplicação de tecnologias já presentes em nossa sociedade há algum tempo, mas talvez ainda timidamente explorada e que, pouco a pouco notamos o significativo aumento na produção e oferta: os vídeos em libras.
Considerando a perspectiva bilíngue adotada, que concebe a Língua de Sinais como primeira língua e a Língua Portuguesa em sua modalidade escrita como a segunda, a imagem do vídeo é uma possibilidade singular de permanência do texto em Libras para a prática educacional bilíngue com surdos.Para que os surdos realizem leituras significativas em segunda língua, é necessário que isso ocorra primeiramente em sua língua natural. É pela língua e na língua que damos sentido ao que somos e ao que nos acontece (LARROSA, 2002), como bem escreveu o poeta Fernando Pessoa e cantou Caetano Veloso. Para isso, além do desenvolvimento da linguagem e aquisição da língua natural, é necessário que sejam oferecidos também, "encontros" com textos em língua de sinais.
Crianças ouvintes têm a possibilidade de encontros e reencontros com textos estáveis, por meio de diversos suportes, como por exemplo. quando assistem inúmeras vezes a um vídeo de histórias infantis ou apenas na escuta de histórias, e que num dado momento, chegam a antecipar trechos desses textos. Certamente, a cada reencontro, o texto ganha novo sentido para essa criança, o que lhe permite não somente compreender a história, mas também, perceber sua própria língua e apropriar-se de novos elementos da língua e de modelos discursivos diversos.
Partindo da abordagem de que é na língua e pela língua que damos sentido ao que somos e vivemos, os reiterados encontros com textos estáveis em libras possibilitam ao surdo, de mesma forma que para o ouvinte, antecipar trechos do texto e apropriar-se de novos modelos discursivos e sem dúvida alguma, promover reflexões sobre a própria língua, desenvolvendo suas habilidades metalinguísticas.
Os textos de libras em vídeo vêm possibilitando que alunos surdos se apropriem de regularidades da língua de sinais e posteriormente compare às regularidades da língua portuguesa em modalidade escrita.
O livro digital em libras "Guilherme Augusto Araújo Fernandes", publicado pela Editora Brinque-Book, é um exemplo disso. Realizamos diversas exposições do livro digital em libras para jovens e adultos surdos com escolarização tardia, matriculados no 3º e 4º ano do Ensino Fundamental de uma escola pública, com idade entre 16 e 35 anos.
A "leitura" do livro digital, inicialmente demosntrou a necessidade que os alunos tinham de "copiar" os textos em libras, se apropriar enquanto "assistiam" ao livro. Após diversas exposições, muitas delas solicitadas pelos próprios alunos, eles passaram a reconhecer e discutir sobre algumas regularidades da língua, como as "rimas" em lingua de sinais (crianças ouvintes desenvolvem a habilidade de reconhecer e produzir rimas e aliterações mesmo sem a orientação formal de sua consciência fonológica da língua portuguesa) traduzidas do original em língua portuguesa.

(trabalho apresentado por Débora Caetano Kober - III BilingLatAm 2009)

domingo, 5 de julho de 2009

PROGRAMA ACESSA SP - INCLUSÃO DIGITAL

São 200 vagas para 8 cursos gratuitos oferecidos pelo programa de inclusão digital do governo do Estado de São Paulo, Acessa SP, dentre eles curso LIBRAS I.
Ao todo, são 200 vagas para 8 cursos. Os temas são: Digitação; Internet nível 1; Montagem e Manutenção de Computadores; Informática nível 1; Introdução ao Linux; Libras nível 1; Introdução à Linguagem de Programação e Inglês. As oficinas serão aplicadas nos períodos da manhã, tarde e noite, entre os dias 06 e 24 de julho.

sexta-feira, 3 de julho de 2009

UM POEMA EM LÍNGUA GESTUAL PORTUGUESA

video

Uma amiga me apresentou o poema de Amílcar Furtado e fiquei admirada com o trabalho dele. Vale a pena! Uma mensagem forte, que combina Língua de Sinais e linguagem visual clara, para todos os públicos.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

INSTITUTO PRO CIDADANIA

Ontem, dia 30 de junho, tive a grata satisfação de assisitr à entrevista da Sra. Açucena Bonanato que preside o Instituto Pro Cidadania no Programa do Jô. Além de uma pessoa extremamente simpática, a Sra. Açucena apresentou algumas questões cotidianas experienciadas pelas pessoas com deficiência, propondo a valorização das habilidades e potenciais de cada um. A abordagem caminha pelo que o sujeito possui e não pelo que lhe falta. Apesar do pouco tempo de sua entrevista, ela foi bastante esclarecedora.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Um pouco de minha história...

Quando ingressei como uma das primeiras professoras na Escola Municipal de Educação Especial - EMEE Profª Vera Lúcia Aparecida Ribeiro em 1988, a escola começava suas atividades com poucos alunos.
Foi um grande avanço no segmento educacional para surdos em São Paulo, pois havia poucas escolas e as famílias percorriam grandes distâncias e a partir desse período, com a inauguração de novas 03 unidades educacionais para surdos, iniciou-se a expansão e a descentralização geográfica.
Em 1986 iniciei minhas atividades docentes com alunos surdos e tinha inúmeras perguntas, mas acreditava ter também algumas respostas.
Em 1988, na antiga EMEDA (Escola Municipal de Educação para Deficientes Auditivos) atual EMEE Profª Vera Lúcia Aparecida Ribeiro surgiram propostas para a logomarca da escola, com o objetivo de retratar a identidade da escola.
Propus então, um desenho que demarcasse a localização geográfica da escola, por sua proximidade ao Pico do Jaraguá (foto de Jorge Myslinski Filho).

Durante anos as camisetas da escola levaram essa imagem como marca de sua identidade geográfica.
Após 20 anos de atividades da escola, e que sem dúvida ocorreram mudanças, não só na escola, mas em minhas respostas que foram se reduzindo ano a ano, mas em minhas perguntas que só se multiplicaram. A escola se preparava para comemorar seus 20 anos de atividades educativas e novamente havia a necessidade de atualizar a marca da identidade da escola e apresentei novamente uma proposta.

Desde 2008, a escola vem utilizando essa nova proposta o que muito me alegra, afinal, marca minha presença na trajetória da escola, além da significativa transição linguística e educacional do trabalho desenvolvido.
Uma identidade que hoje ultrapassa a questão geográfica e marca a construção de um trabalho educacional que respeita o direito à diversidade linguística do surdo, seu direito de ser bilíngue, e a partir dessa perspectiva, incluí-lo de fato na sociedade e no mercado de trabalho, como um sujeito diferente, mas com potencialidades.
Desde 2004, venho atuando na EMEE com jovens e adultos surdos, muitos com ingresso tardio na escola, mas sem dúvida alguma, trazem muita garra, força de vontade, e o que é melhor, nos ensinam novas formas de ensinar.
A satisfação que eles demonstram em fazer parte dessa comunidade é imensa, e eles revelam esse sentimento em pequenos momentos, principalmente quando expõem o desejo de carregar tal imagem em suas camisetas. Esse processo identitário só é possível pela língua.
Assim posto, creio que as palavras de Flusser (2004, p. 37) podem complementar nosso pensamento a respeito da língua.


Ela nos liga aos nossos próximos, através das idades, aos nossos antepassados. Ela é, a um tempo, a mais antiga e a mais recente obra de arte, obra de arte majestosamente bela, porém, sempre imperfeita. E cada um de nós pode trabalhar essa obra, contribuindo, embora modestamente, para aperfeiçoar-lhe a beleza. No íntimo sentimos que somos possuídos por ela, que não somos nós que a formulamos, mas que é ela que nos formula. Somos como que pequenos portões, pelos quais ela passa para depois continuar em seu avanço rumo ao desconhecido. Mas no momento de sua passagem pelo nosso pequeno portão, sentimos poder utilizá-la. Podemos reagrupar os elementos da língua, podemos formular e articular pensamentos. Graças a este nosso trabalho ela continuará enriquecida em seu avanço. (Flusser, V. Língua e Realidade. São Paulo: Annablume. 2004. 2ª Edição)

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Língua Oral, LIBRAS e Orquestra Sinfônica no Teatro Municipal de São Paulo

No dia 16 de junho, aconteceu a primeira apresentação.
Domingo 21/06 -17h
Entrada gratuíta - Abertura da bilheteria 2h antes para retirada de ingressos.
com a Intérprete e Instrutora de Libras Lilian Vânia de Abreu Silva Olah

quarta-feira, 17 de junho de 2009

OFICINA LITERÁRIA COM INTÉRPRETE EM LIBRAS

Disseminação cultural e inclusão. São iniciativas como essa que mudam nossa sociedade. Espero imensamente, que as crianças possam se beneficiar do evento, sejam eles surdos ou ouvintes. Todos ganham. Uma oportunidade ímpar de aprender e aprender com a diversidade.

quinta-feira, 11 de junho de 2009

BilingLatAm

Terceiro Simpósio sobre Bilinguismo, Educação Bilíngue e Cidadania
na América Latina
8 a 10 de julho de 2009, São Paulo, Brasil

Simpósio sobre Bilingualismo, Educação Bilíngüe e Cidadania na América Latina acontecerá em São Paulo, Brasil, na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). Esta terceira edição do evento traz uma grande novidade, que é um seminário pré-conferência. O primeiro Seminário Pré-Conferência do Bilinglatam acontecerá no dia 8 de julho de 2009 e oferecerá cursos nas várias áreas do Bilinguismo, Educação Bilíngue, Formação de Professores para a Educação Bilíngue e Educação para a Cidadania para alunos de graduação, pós-graduação, mestres e doutores. Estudantes e pesquisadores do mundo inteiro estão convidados a participar e contribuir com o Seminário, na perspectiva de construir um trabalho interdisciplinar de alta qualidade.

Informações Gerais

Assim como os BILINGLATAM I e II, que aconteceram respectivamente em Buenos Aires, Argentina em 2004 e em Bogotá, Colômbia, em 2006, este Simpósio tem por objetivo promover o intercâmbio de conhecimento nas áreas de pesquisa e ensino em bilinguismo e educação bilíngue entre aqueles que trabalham em contextos lingüísticos majoritários e minoritários na América Latina.
A Comissão Organizadora receberá propostas de apresentações que abordem quaisquer aspectos ou recortes dos temas centrais, que são:

  • Bilinguismo

  • Educação Bilíngue

  • Formação de Professores para a Educação Bilíngue

  • Educação para a Cidadania

Haverá três modalidades de apresentação:

Plenárias, com palestrantes convidados
• Comunicações, com duração máxima de 30 minutos.
• Sessões de apresentação de pôsteres, com duração de 30 minutos.

As línguas oficiais deste Simpósio são inglês, português, LIBRAS (Língua de Sinais) e espanhol.

domingo, 7 de junho de 2009

Brenda Costa - Top Model Surda no Fashion Rio

07/06/09 - 18h51 - Atualizado em 07/06/09 - 20h02

Top model deficiente auditiva brilha em desfile no Fashion Rio

Modelo Brenda Costa mostrou look todo branco na passarela de Mara Mac.
Terceiro dia do evento ainda deve ter Juliana Paes na TNG.

Alícia Uchôa e Carla Meneghini Do G1, no Rio


Brenda Costa desfilou pela Mara Mac (Foto: Lucíola Villela/G1)

A top model Brenda Costa, que é surda, roubou a cena no desfile da grife Mara Mac, neste domingo (7), no Fashion Rio. Deficiente auditiva de nascença, a morena carioca mostrou um vestido de corte amplo e todo em branco.

Veja as fotos do terceiro dia de Fashion Rio

Veja a cobertura completa do Fashion Rio

Casada com o milionário Karim Al Fayed, irmão de Dodi Al Fayed, a top hoje mora em Londres e tem um bebê de cerca de um ano.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Dissertação de Mestrado

Dia 15 de maio, às 15h00
PUC- SP (Caio Prado, 102 - Consolação - SP)
(com tradutor e intérprete de Libras)

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

Dia Internacional da Língua Materna 2009 - UNESCO

Por que as línguas desaparecem? Quais são as regiões do mundo mais afetadas por este desaparecimento? O que pode ser feito para salvá-las? A nova edição do Atlas Mundial da UNESCO de Línguas em Perigo de Desaparecimento [UNESCO Atlas of the World's Languages in Danger of Disappearing] pretende responder estas questões. O Atlas será apresentado à imprensa na Sede da UNESCO, em Paris, no dia 19 de fevereiro, por ocasião do Dia Internacional da Língua Materna.
(UNESCO - acesso em 20/fev/09)

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Alunos com deficiência auditiva podem ser liberados da aula de idiomas

Estudar inglês ou espanhol na escola é obrigatório a todos os alunos brasileiros a partir da quinta série (sexto ano), inclusive os portadores de deficiência auditiva. Eles usam a língua dos sinais, chamada Libras (sigla de Língua Brasileira de Sinais), para se comunicarem e aprenderem. No entanto, o deputado Augusto Carvalho, do PPS do Distrito Federal, acredita que estudar uma língua estrangeira pode ficar muito pesado para o aluno portador de deficiência auditiva, já que ele já aprende a linguagem de sinais. Opcional Por isso, ele apresentou o Projeito de Lei (PL) 2487/07, onde torna facultativo (opcional) o estudo da língua estrangeira aos alunos com deficiência auditiva. Em outras palavras, se o PL for aprovado, eles serão liberados da obrigação de aprenderem outra língua, a não ser que queiram. Com um detalhe: só será facultativo se o aluno portador de deficiência auditiva tiver a opção de estudar, em sua escola, a língua de sinais como parte integrante do currículo escolar. Ficou claro? Já é lei? Ainda não. A proposta será analisada pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Educação e Cultura; e de Constituição e Justiça e de Cidadania em apreciação conclusiva.
Saiba mais O ensino da língua estrangeira é obrigatório a todos os alunos brasileiros da rede pública e privada a partir da quinta série (atual sexto ano) do ensino fundamental, de acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (lei número 9.394 de 1996). Fonte: Plenarinho.
15/02/2009
http://www.niltoncamara.net/noticias.php?id=58 acesso em 16/fev/09

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Clube canadense anuncia primeiro show de rock para surdos


05/02/09 - 13h57 - Atualizado em 05/02/09 - 18h15
Toronto tem o primeiro show de rock para surdos
Apresentação terá tecnologia desenvolvida por universidade canadense.Sistema de cadeiras transforma música em estímulo tátil.

Do G1, em São Paulo

Foto: MySpace do artista


A banda canadense Fox Jaws. (Foto: MySpace do artista)


Um pequeno clube na cidade de Toronto, no Canadá anunciou um show de rock muito especial para esta quinta-feira (5): uma apresentação exclusiva para surdos. O Centro de Tecnologia do Aprendizado e de Ciência Musical da Ryerson University anunciou o show, segundo o jornal britânico Guardian, como o “primeiro concerto de rock para deficientes auditivos”. No palco estarão bandas como Fox Jaws, Hollywood Swank e The Dufraines, entre outras, mas o segredo do show está no chão: o público vai assistir às apresentações sentado em Emoti-Chairs, cadeiras especialmente desenvolvidas para transformar “informações de áudio em estímulos táteis”. Um computador dentro de cada cadeira analisa as frequências sonoras, usando um sistema de mapeamento semelhante ao da cóclea humana, um órgão interno da orelha. Em resposta, gera uma série de estímulos, seja em movimento, toques e vibrações. Para tornar o show uma experiência completa, a platéia ainda vai ter acesso a legendas das músicas, intérpretes em linguagem de sinais e imagens de visualização musical.